Vá para o porto de Sanur, embarque num barco e, antes que possa dizer “boas férias”, você chegará ao paraíso – bem-vindo a Nusa Lembongan!

frase retirada de um site

Nusa Lembongan é descrita nos sites de viagens e dos viajantes como sendo um paraíso, e é realmente um paraíso, mas para que seja um paraíso, há toda uma atividade laboral, muitas vezes bem difícil e árdua, que é esquecida de contar.

À primeira vista, as imagens reportam-nos para ambientes e contextos idílicos, mas não é bem assim, quem viaja por este mundo fora, sabe do que estou a falar, a realidade é bem distinta.

Eu adoro viajar pela procura da autenticidade em cada lugar. Infelizmente essa autenticidade vai-se perdendo cada vez mais, porque o padrão vai sendo o mesmo por todo o lado.

Esta pequena ilha, como em tantas outras, não é auto-suficiente. Todos os bens que chegam à ilha vêm por via marítima, desde cimento, tijolos, ferro e muitos outros materiais, onde o transbordo é feito por mulheres que, na praia, pacientemente fazem transportar nas suas cabeças cargas bem pesadas, debaixo de um calor escaldante, incluindo o lixo e o entulho, que vai de volta, para fora da ilha, ainda bem que o fazem. Embora algum lixo seja queimado, prática comum em locais mais desleixados com as questões ambientais.

Esta ilha tem ainda uma particularidade que não aparece nos sites de viagens, a produção de algas, que depois de colhidas e dispostas em largas lonas a secar, têm como destino a indústria cosmética. Actividade que dá emprego a muitas pessoas.

Entre a apanha e a secagem, passam de um tom verde, para roxo e finalmente amarelo esbranquiçado, graças a um constante remexer das algas ao logo do dia.

Situa-se relativamente perto de Bali, tem de facto paisagens deslumbrantes, mangais verdejantes e os seus habitantes muito simpáticos.

Se pretende viajar, quando for possível! Para além de Bali e de Lombok , tem esta opção – Lembongan (facilmente visitável de motorizada – passeio que fiz e que me agradou bastante), depois pode aproveitar e dar um pulinho às Gili, que são compostas por três ilhas. Em dezembro de 2018 foram fustigadas por um violento sismo, que fez grandes estragos. Em 2019, quando visitei as Gili, era notório ainda os efeitos do sismo.

Um outro pormenor, estender a toalha na praia e ficar horas a fio, só se for mesmo no início da manhã ou no final da tarde, bem mesmo ao final, porque o areal é escaldante fora destes períodos.

Rui Carvalho

Please follow and like us: